Novidades

12/04/12

Festival Literário de Votuporanga é lançado oficialmente

A segunda edição do Festival Literário de Votuporanga (FLIV) foi lançada oficialmente na última quinta-feira (5/4), no Atol Cultural. O FLIV acontecerá de 1 a 5 de maio e reunirá nomes como de Mário Prata, Márcia Tiburi e shows com Jair Rodrigues e Luciana Melo e Ed Mota e da banda Black Rio. O lançamento contou com a presença do escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão, da secretária da Educação, Cultura e Turismo de Votuporanga, Eliane Baltazar Godoi, e de autoridades municipais. O Festival acontecerá na Praça Santa Luzia.

O Festival terá início no dia 1º de maio juntamente com a Festa do Trabalhador e contará em sua programação ainda com as apresentações do Fórum Internacional de Dança, que trará para Votuporanga grupos de dança dos Estados Unidos, Togo, Bolívia, França e Argentina, além de sarau literário e oficinas de dança, modelagem, escultura com papel, pipa e tai chi chuan, oficinas, mesas de debates e encontros com autores. Já estão confirmados bate-papo com os escritores Mário Prata, Márcia Tiburi, Frederico Barbosa, Claudio Daniel, Elson Froés e Ferrez. O FLIV ainda contará com uma exposição sobre poesia concreta sob curadoria do poeta e especialista no assunto, Frederico Barbosa, tema do Festival deste ano.

“Ser patrono de um Festival como este é um enorme prazer. Um festival literário como este é uma semente, sempre jogada na tentativa de cativar novos leitores. Temos que ter, não apenas o envolvimento do poder público, mas de toda a população em um evento desta amplitude”, destacou Loyola Brandão.

Em seu discurso emocionado, a secretária da Educação Eliane Baltazar Godoi, destacou a importância do evento para o município, enfatizando que “o FLIV não pode ser um festival de apenas uma administração, tem que ter continuidade, pois estimula a formação de novos leitores”, disse Eliane. Outro ponto forte do FLIV destacado pela secretária foi o cheque-livro para os alunos da rede municipal de ensino. “Iremos entregar um cheque-livro no valor de R$ 10 para nossos alunos do ensino fundamental, dando autonomia para as crianças comprarem o livro que mais lhe agradar, despertando assim o interesse pela leitura”, concluiu Eliane.

O FLIV contará ainda com os espaços Senac, Livraria Premier, Livraria Espaço, Editora Abril, Atol Espaço Cultural, Caravana da Leitura, com o escritor Laé de Souza; Bookcafé Livraria e Café, Espaço TV TEM, Loja do FLIV e loja com produtos do artesanato local. No total, os expositores pretender comercializar cerca de 20 mil títulos, dos mais variados gêneros, como romances, contos e poesia.

A organização do FLIV espera que, durante os cinco dias, mais de 30 mil pessoas visitem o evento. A iniciativa tem como parceiros: a Secretaria de Estado da Cultural, Governo do Estado de São Paulo, Abaçai Organização Social de Cultura, Fundação Itaú Social, Clube de Autores, Unifev, Marão Máquinas Agrícolas, Posto Gramadão, Transrápido São Francisco e Fiat Camilla.

Cheque-livro

Outra ação importante do FLIV é o Cheque-Livro, que oferecerá, gratuitamente, aos alunos do ensino fundamental da Rede Municipal de Ensino, com idade entre 6 e 14 anos, um cheque-livro no valor de R$ 10 para que eles possam escolher e comprar os livros dentro das livrarias montadas no Festival. As crianças participarão ainda de atividades ligadas à literatura, como sessões de contação de histórias e oficinas.

Legenda foto capa: Escritor Ignácio de Loyola Brandão recebe o título de patrono do FLIV

Legenda foto: Secretária da Educação, Eliane Godoi, apresenta programação do FLIV durante lançamento, no Atol Cultural

Fotos: André Takahashi

12/04/12

Festival Literário de Votuporanga começa em maio

Evento terá oficinas, mesas de debates, encontros com autores, exposição, grupos de danças e shows. Já estão confirmadas participações de Ed Mota, Jair Rodrigues, Mario Prata e Marcia Tiburi, entre outros

A segunda edição do Festival Literário de Votuporanga (FLIV) ocorre de 01 a 05 de maio, com uma programação bem diversificada. O FLIV terá, ao longo dos cinco dias, oficinas, mesas de debates, encontros com autores, exposição, grupos de danças e shows.
Já estão confirmadas apresentações musicais de Jair Rodrigues, Luciana Melo, Ed Mota e da banda Black Rio, além de bate-papo com os escritores Mario Prata, Ferréz, William Nacked, Marcia Tiburi, Claudio Daniel, Élson Froés e Frederico Barbosa e de uma exposição intitulada “O Livro Concreto”, que apresentará algumas das principais publicações da Poesia Concreta em edições originais.
No total, os expositores do FLIV irão comercializar 20 mil títulos, dos mais variados gêneros, como romances, contos e poesia.
Outra atração do Festival será o Fórum Internacional de Dança, que terá a participação de grupos dos Estados Unidos, Israel, Togo, Bolívia, França e Argentina. Haverá também sarau literário e oficinas de dança, modelagem, escultura com papel, pipa e tai chi chuan.
Os visitantes poderão conferir também os espaços Senac, Livraria Premier, Livraria Espaço, Editora Abril, Atol Espaço Cultural, Caravana da Leitura, com o escritor Laé de Souza; Bookcafé Livraria e Café, TV TEM, Loja do FLIV e Loja do Artesanato Local.
Outra ação importante do FLIV é o Cheque-Livro, que oferecerá, gratuitamente, aos quatro mil alunos do ensino fundamental da rede pública, com idade entre 6 e 14 anos, um cheque-livro no valor de R$ 10 para que eles possam comprar livros dentro das livrarias montadas no Festival. As crianças participarão ainda de atividades ligadas à literatura, como sessões de contação de histórias e oficinas.
A organização do FLIV espera que, durante os cinco dias, mais de 30 mil pessoas visitem o evento. A iniciativa tem como parceiros Secretaria de Estado da Cultural, Governo do Estado de São Paulo, Abaçai Organização Social de Cultura, Fundação Itaú Social, Clube de Autores, Unifev, TV TEM (afiliada Rede Globo), Sescoop-SP, Marão Máquinas Agrícolas e Fiat Camilla.
Para mais informações, acesse www.flivotuporanga.com.br

Patrono – O FLIV tem como patrono o escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão, autor de cerca de 30 livros.
“Ser patrono de uma feira equivale a uma medalha de ouro. A minha relação com Votuporanga vem desde a infância, quando passava férias na cidade. Um festival literário como este é uma semente, sempre jogada em busca de leitores, na tentativa de fazer leitores. Espero que o FLIV sobreviva a tudo. Eu gostaria de viver para chegar à edição de número 50 do Festival”, diz Loyola Brandão.

Breve perfil dos escritores:

Ignácio de Loyola Brandão: jornalista, romancista, cronista e contista. Autor de cerca de 30 livros, Loyola Brandão iniciou na literatura, em 1965, com a coletânea de contos Depois do Sol.

Mario Prata: dramaturgo, escritor e jornalista. Ficou conhecido nacionalmente após escrever a telenovela “Estúpido Cupido”, de 1976. Anos depois, em 2005, lançou “Bang Bang”, em parceria com Carlos Lombardi.

Marcia Tiburi: graduada em filosofia e artes e mestre e doutora em filosofia, publicou os romances Magnólia e a Mulher de Costas, da série Trilogia Íntima. Em 2008 publicou Filosofia em Comum - para ler junto.

Frederico Barbosa: poeta, crítico literário, professor de literatura e diretor da Casa das Rosas - Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Autor, entre outros, Rarefato, seu primeiro livro.

Claudio Daniel: curador de poesia e literatura do Centro Cultural São Paulo, é doutorando em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo. Publicou os livros Figuras Metálicas e Fera Bifronte, entre outros.

Elson Fróes: formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica, publicou pela coleção Caixa Preta o livro Poemas Diversos. Em 2011, foi curador da mostra Videopoéticas, no Centro Cultural São Paulo.

12/04/12

Festival Literário de Votuporanga é lançado oficialmente

A segunda edição do Festival Literário de Votuporanga (FLIV) foi lançada oficialmente na última quinta-feira (5/4), no Atol Cultural. O FLIV acontecerá de 1 a 5 de maio e reunirá nomes como de Mário Prata, Márcia Tiburi e shows com Jair Rodrigues e Luciana Melo e Ed Mota e da banda Black Rio. O lançamento contou com a presença do escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão, da secretária da Educação, Cultura e Turismo de Votuporanga, Eliane Baltazar Godoi, e de autoridades municipais. O Festival acontecerá na Praça Santa Luzia.

O Festival terá início no dia 1º de maio juntamente com a Festa do Trabalhador e contará em sua programação ainda com as apresentações do Fórum Internacional de Dança, que trará para Votuporanga grupos de dança dos Estados Unidos, Togo, Bolívia, França e Argentina, além de sarau literário e oficinas de dança, modelagem, escultura com papel, pipa e tai chi chuan, oficinas, mesas de debates e encontros com autores. Já estão confirmados bate-papo com os escritores Mário Prata, Márcia Tiburi, Frederico Barbosa, Claudio Daniel, Elson Froés e Ferrez. O FLIV ainda contará com uma exposição sobre poesia concreta sob curadoria do poeta e especialista no assunto, Frederico Barbosa, tema do Festival deste ano.

“Ser patrono de um Festival como este é um enorme prazer. Um festival literário como este é uma semente, sempre jogada na tentativa de cativar novos leitores. Temos que ter, não apenas o envolvimento do poder público, mas de toda a população em um evento desta amplitude”, destacou Loyola Brandão.

Em seu discurso emocionado, a secretária da Educação Eliane Baltazar Godoi, destacou a importância do evento para o município, enfatizando que “o FLIV não pode ser um festival de apenas uma administração, tem que ter continuidade, pois estimula a formação de novos leitores”, disse Eliane. Outro ponto forte do FLIV destacado pela secretária foi o cheque-livro para os alunos da rede municipal de ensino. “Iremos entregar um cheque-livro no valor de R$ 10 para nossos alunos do ensino fundamental, dando autonomia para as crianças comprarem o livro que mais lhe agradar, despertando assim o interesse pela leitura”, concluiu Eliane.

O FLIV contará ainda com os espaços Senac, Livraria Premier, Livraria Espaço, Editora Abril, Atol Espaço Cultural, Caravana da Leitura, com o escritor Laé de Souza; Bookcafé Livraria e Café, Espaço TV TEM, Loja do FLIV e loja com produtos do artesanato local. No total, os expositores pretender comercializar cerca de 20 mil títulos, dos mais variados gêneros, como romances, contos e poesia.

A organização do FLIV espera que, durante os cinco dias, mais de 30 mil pessoas visitem o evento. A iniciativa tem como parceiros: a Secretaria de Estado da Cultural, Governo do Estado de São Paulo, Abaçai Organização Social de Cultura, Fundação Itaú Social, Clube de Autores, Unifev, Marão Máquinas Agrícolas, Posto Gramadão, Transrápido São Francisco e Fiat Camilla.

Cheque-livro

Outra ação importante do FLIV é o Cheque-Livro, que oferecerá, gratuitamente, aos alunos do ensino fundamental da Rede Municipal de Ensino, com idade entre 6 e 14 anos, um cheque-livro no valor de R$ 10 para que eles possam escolher e comprar os livros dentro das livrarias montadas no Festival. As crianças participarão ainda de atividades ligadas à literatura, como sessões de contação de histórias e oficinas.

Legenda foto capa: Escritor Ignácio de Loyola Brandão recebe o título de patrono do FLIV

Legenda foto: Secretária da Educação, Eliane Godoi, apresenta programação do FLIV durante lançamento, no Atol Cultural

Fotos: André Takahashi

27/03/12

FLIV 2012: inscrições de projetos podem ser feitas até dia 30 de março

A Secretaria da Educação, Cultura e Turismo da Prefeitura de Votuporanga está com as inscrições abertas para contadores de histórias que queiram apresentar projetos para serem executados durante os cinco dias do FLIV 2012 (Festival Literário de Votuporanga). As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 30 de março, na Secretaria da Educação. O FLIV acontecerá entre os dias 1º e 5 de maio e o tema será poesia concreta.

“Precisamos, principalmente, de atividades para crianças, que tenham literatura inserida, como: contação, oficina, esquete etc. Os selecionados deverão ter disponibilidade para trabalhar entre os dias 1º a 5 de maio, das 7h30 às 11h e das 13h às 16h, para um público estimado de 4 mil crianças”, explicou a coordenadora do FLIV, Cibeli Moretti.O regulamento completo se encontra, na íntegra, no site do FLIV 2012, no www.flivotuporanga.com.br.

As pessoas interessadas devem enviar projeto em envelope lacrado para a Secretaria da Educação com etiqueta contendo as seguintes informações: nome do participante, nome do projeto e contato (endereço, telefone e e-mail). Já no projeto devem constar: dados do participante (nome completo, endereço, telefone, e-mail), apresentação do projeto, objetivo, cronograma de apresentações, materiais e equipamentos necessários como: som, luz, entre outros; classificação etária, público alvo, valor (por projeto ou por hora) e um breve currículo dos integrantes (um parágrafo corrido).

A Secretaria de Educação, Cultura e Turismo fica na Rua Santa Catarina, 3747 – Centro. Informações através do telefone 34059750.

FLIV 2011

O primeiro Festival Literário de Votuporanga aconteceu entre os dias 25 de abril a 1º de maio de 2011 e foi um sucesso. Neste período Votuporanga se tornou a capital da literatura. Grandes nomes como: Ignácio Loyola Brandão, Kátia Canton, Fabrício Carpinejar, Maurício Kubrusly, entre outros, passaram pelo centro de eventos da Praça Santa Luzia durante os dias de festival, que ainda teve programação diversificada, com projetos literários nas escolas, oficinas, mesas de debate, contação de histórias e troca e venda de livros a preços acessíveis. Além da literatura, o FLIV também ficou marcado pela música e dança, com destaque para Fernanda Porto, Almir Sater e o Fórum Internacional de Dança, que reuniu grupos do México, São Paulo, Belgica, entre outros.

27/03/12

FLIV 2012: inscrições de projetos podem ser feitas até dia 30 de março

A Secretaria da Educação, Cultura e Turismo da Prefeitura de Votuporanga está com as inscrições abertas para contadores de histórias que queiram apresentar projetos para serem executados durante os cinco dias do FLIV 2012 (Festival Literário de Votuporanga). As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 30 de março, na Secretaria da Educação. O FLIV acontecerá entre os dias 1º e 5 de maio e o tema será poesia concreta.

“Precisamos, principalmente, de atividades para crianças, que tenham literatura inserida, como: contação, oficina, esquete etc. Os selecionados deverão ter disponibilidade para trabalhar entre os dias 1º a 5 de maio, das 7h30 às 11h e das 13h às 16h, para um público estimado de 4 mil crianças”, explicou a coordenadora do FLIV, Cibeli Moretti.O regulamento completo se encontra, na íntegra, no site do FLIV 2012, no www.flivotuporanga.com.br.

As pessoas interessadas devem enviar projeto em envelope lacrado para a Secretaria da Educação com etiqueta contendo as seguintes informações: nome do participante, nome do projeto e contato (endereço, telefone e e-mail). Já no projeto devem constar: dados do participante (nome completo, endereço, telefone, e-mail), apresentação do projeto, objetivo, cronograma de apresentações, materiais e equipamentos necessários como: som, luz, entre outros; classificação etária, público alvo, valor (por projeto ou por hora) e um breve currículo dos integrantes (um parágrafo corrido).

A Secretaria de Educação, Cultura e Turismo fica na Rua Santa Catarina, 3747 – Centro. Informações através do telefone 34059750.

FLIV 2011

O primeiro Festival Literário de Votuporanga aconteceu entre os dias 25 de abril a 1º de maio de 2011 e foi um sucesso. Neste período Votuporanga se tornou a capital da literatura. Grandes nomes como: Ignácio Loyola Brandão, Kátia Canton, Fabrício Carpinejar, Maurício Kubrusly, entre outros, passaram pelo centro de eventos da Praça Santa Luzia durante os dias de festival, que ainda teve programação diversificada, com projetos literários nas escolas, oficinas, mesas de debate, contação de histórias e troca e venda de livros a preços acessíveis. Além da literatura, o FLIV também ficou marcado pela música e dança, com destaque para Fernanda Porto, Almir Sater e o Fórum Internacional de Dança, que reuniu grupos do México, São Paulo, Belgica, entre outros.

10/10/11

Melhores momentos do FLIV 2011

Confira o vídeo com os melhores momentos do Fliv 2011, realizado pela Prefeitura Municipal de Votuporanga através da Secretaria de Educação, Cultura e Turismo.

10/10/11

Relatório Fliv 2011

Confira a repercussão do FLIV 2011 em imagens, números e resultados. Baixe aqui!

10/10/11

Melhores momentos do FLIV 2011

Confira a repercussão do FLIV 2011 em imagens, números e resultados. Baixe aqui!

17/06/11

Alunos da rede recebem livros da Coleção Itaú

Cerca de 3 mil crianças, com idades entre 0 e 5 anos, matriculadas na rede municipal, recebem, nesta semana, Kit’s da Coleção de Livros Infantis da Fundação Itaú Social. A entrega faz parte das ações de estímulo à leitura iniciadas neste ano através do Festival Literário de Votuporanga, realizado em abril.
No total, 15 escolas serão contempladas com os livros e sessões de contação de histórias em parceria com os atores Gabriela de Carvalho, Edmar da Costa e Cleber da Silva Neves.
Como parte do programa de incentivo à leitura, outros quatro mil alunos, com idades entre 6 e 14 anos, receberam durante o FLIV, o cheque-livro – um cheque simbólico no valor de R$ 10 para aquisição de livros dentro da livraria do Festival.
A Coleção
Desde outubro de 2010, o Itaú está distribuindo gratuitamente 16 milhões de livros, porque acredita que incentivar o gosto pela leitura é um bom caminho para o desenvolvimento completo das crianças e fundamental para o crescimento do país.
A Coleção Itaú de Livros Infantis é formada por quatro volumes - O Jogo da Parlenda, Os três Porquinhos, Lobisomem e Bem-te-vi, e é destinada gratuitamente através do site www.lerfazcrescer.com.br.

06/05/11

O jogo em que avançamos ou recuamos casas

Por Ignácio de Loyola Brandão - no Estadão de hoje.


Votuporanga — O longo trem de carga da ALL estava parado no pátio da estação. Eu na plataforma raciocinava como ir para o lado de lá. A única possibilidade era atravessar por baixo do trem, entre os truques. As imensas locomotivas imóveis, de tempos em tempos, soltavam um silvo agudo de ar comprimido, atemorizante. Não tinha jeito, precisava atravessar, portanto me abaixei, rastejei por cima dos trilhos, dos dormentes e das pedras, não vi uma haste de ferro, bati a cabeça, fiquei zonzo, continuei. Se o trem partisse naquele momento, eu teria sido esmagado.
No lado de lá, encontrei a casa de meu tio José e mergulhei naqueles anos entre 1957 e 1960, quando passava as férias ali, levando de Sâo Paulo livros e revistas, que não chegavam ao interior, e discos com os sucessos mais recentes europeus e americanos como o Chá-chá-chá, o twist, o hully-gully e o let kiss. Quem se lembra? Ensinava tios, primos e amigos a jogar buraco (truco já se jogava), comia comida caseira, frangos criados no quintal, leitoas trazidas de sitios, queijo produzido por alguma vizinha. Nâo existia supermercado, tudo era buscado na venda, na quitanda, nas hortas. Às tardes escorriam lentas, curtíamos os lanches com manteiga caseira, pães doces, café produzido no local, leite tirado da vaca, bolachas. A casa do chefe era separada das outras, rodeada por árvores, ainda que todas fossem de primeira categoria, tanto que todas estão de pé e em boas condições até hoje.
Trens passavam, rompendo o silêncio absoluto. Na estação, olhávamos as pessoas, sentíamos o cheiro das comidas do carro restaurante, da bosta de gado das gaiolas, ou dos sacos de café que demandavam Santos. O Noturno excitava, nós os homens percorríamos, a plataforma junto aos vagões leitos, tentando ver se havia uma janela aberta e alguma mulher nua se trocando. Nunca havia.
Em Votuporanga houve tardes de jogos entre a Ferroviária e a Votuporanguense; as festas pelo prolongamento da via férrea até Presidente Vargas, que hoje desapareceu engolida pelas águas de uma hidrelétrica;. a amizade com o jornalista Nelson Camargo (fundador do Diário de Votuporanga) e sua filha, a bela Cláudia, extrovertida, inteligente. Tinha tudo para ser grande, não fosse o acidente de carro que a levou nos anos 80. Tanto era estimada que, hoje, a sala de imprensa da Câmara Municipal tem o nome dela e lá está seu retrato, vigiando os vereadores com aquele riso que desarmava.
Não havia televisão, apenas rádio. Uma noite ou outra, a pé, se perdíamos a jardineira, partíamos para a cidade, que era longe, e pegávamos a sessão no Cine Votuporanga, hoje desativado, mas há um projeto para reativá-lo. A vida corria lenta, Votuporanga era fim de mundo, mas um pequeno paraíso.
Criança, meus pais me levavam, às vezes, à Simonsen, vila diminuta. O trem não parava ali, éramos obrigados a descer na estação seguinte, Votuporanga, e voltar de jardineira. Viver em Simonsen era uma festa, meus tios Benedito e Quita tinham máquina de beneficiar arroz. Esporte radical era a montanha de palha de arroz, sequinha amarelada, na qual nos atirávamos, imaginando que fosse neve. Votuporanga então tinha ruas de terra batida e muita poeira. Parte de minha infância foi vivida em cidades pioneiras, recém-fundadas, encravadas em sertão bruto.
Outra ligação com a cidade foi Geraldo Alves Machado, professor que agora dá nome à biblioteca municipal da cidade. Se alguém abrir meu romance Nâo Verás País Nenhum verá a dedicatória: “A Geraldo que não chegou a ver dedicatória deste livro”. Uma semana antes do livro sair, Geraldo morreu. Foi professor de português e de desenho, homem criativo, alegre, amado pelos alunos. Foi dessas pessoas raras que gostam de cada aluno e olham dentro deles, buscando qualidades. Geraldo fez teatro, seu grupo se apresentou em Sâo Paulo e ganhou prêmios. Naqueles anos 60, as pessoas perguntavam: “Votuporanga? Onde é?” De repente recebiam o impacto de um grupo teatral original. Há pessoas que são determinantes na vida e Geraldo foi na minha. Parente meu, lia, lia, lia, sabia como ninguém a história da arte, e insistia: “vai embora, teu lugar é Sâo Paulo, vai embora!”
Vim à Votuporanga, há quinze dias, para abrir o primeiro FLIV, Festival Literário de Votuporanga, maravilha, uma festa de livros a mais, benvinda seja, tenha vida longa. O festival nasceu da determinação do prefeito Junior Marão e da Secretaria de Educação, Cultura e Turismo Eliana Baltazar Godoi. Semana compacta, com Caravana de Livros, Espaço Clube dos Autores (que estruturou o projeto, misturando bem os escritores), bandas, saraus e shows, projeto Ecotudo, meio ambiente hoje é fundamental. Pelo palco do Salão da Paróquia de Santa Luzia (até o vigário entrou, apoiou) passaram, entre outros, Lourenço Mutarelli, Fabricio Carpinejar e Katia Canton. Almir Sater fechou a semana no dia primeiro de maio com um show que atraiu trabalhadores de toda a região. No ano que vem, o segundo FLIV será numa estrutura construida no meio de um lago. Com muitos livros. Sim, indo lá, passe pelo Filó, e deguste a maciez da costela servida na própria panela onde é feita em fogo de lenha.
Como pode uma cidade provocar um turbilhão de sensações? Fiquei nela apenas 24 horas e fui envolvido por pessoas, lembranças, fatos que mexeram comigo. Subir ao palco da Casa Paroquial Santa Luzia, para abrir o FLIV, significou mais do que um simples acontecimento literário. Envolveu vida, sentimentos, lembranças, demonstração de que as coisas vão e voltam, há caminhos que parecem acabados e são reencontrados de novo. Como nesses jogos em que você avança casas, recua casas, fica parado, pula obstáculos, ganha e perde.
PS: Indignado, penso: Como aceitar a frieza e indiferença com que o senhor Joâo Sayad demitiu o maestro Julio Medaglia da Cultura? Sem razão, sem argumentos. Demitiu em um minuto.



Guia

  • Agência Bancária
  • Farmácia/Drogaria
  • Hotéis
  • Imobiliárias
  • Lanchonete
  • Pizzaria
  • Ponto de Táxi
  • Restaurante
  • Serviço Médico
  • Postos de Combustível
  • Transporte
  • Emergência