Novidades

28/07/15

FLIV divulga presença de Tico Santa Cruz, Caco Barcellos e ex-Casseta e Planeta

Outros importantes nomes da literatura brasileira estarão no festival em Votuporanga para saraus e rodas de conversa

A quinta edição do Festival Literário de Votuporanga – FLIV 2015, que acontece de 7 a 15 de agosto, terá a presença de dez grandes nomes da literatura brasileira, entre eles três personagens bastante conhecidos do público e da mídia. Na programação principal de escritores divulgada nesta terça-feira (28/7), estão previstas rodas de conversa com o músico Tico Santa Cruz, o jornalista Caco Barcellos e o ex-integrante do Casseta e Planeta, Reinaldo Figueiredo, todos com obras publicadas.

Três importantes vozes da prosa brasileira atual, Ana Maria Gonçalves, Paulo Lins e André Sant’Anna promoverão no dia 8 de agosto, sábado, às 17h30, um sarau com leitura de trechos de suas obras. Com estilos e tonalidades diferentes, eles tratam de assuntos que perpassam a vida brasileira historicamente, numa relação intensa entre história e ficção.

No dia 9 de agosto, domingo, às 18h, o jornalista e escritor Caco Barcellos falará com o público sobre sua experiência junto ao programa Profissão Repórter e suas publicações com especialidade em jornalismo investigativo e documentário.

Dia 11, terça-feira, às 16h, é a vez do vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, bater um papo, focado no público jovem, sobre o trabalho com a música e a fundação da banda, além de temas como política, literatura e comportamento. Também devem permeiar a conversa os polêmicos livros escritos por ele e as postagens nas redes sociais em que Tico expressa opiniões políticas de maneira independente e crítica.

Ainda no dia 11, às 19h30, será possível acompanhar a explanação da jornalista de moda, escritora e  personal stylist Tita Aguiar. Convidada pelo Senac Votuporanga, ela falará sobre o universo da moda, sua experiência na área, obras publicadas e também trará informações e orientações sobre os instrumentos necessários para a construção e gerenciamento da imagem, no âmbito profissional e pessoal.

O humorista Reinaldo, ex- Casseta & Planeta, receberá o público no dia 13, quinta-feira, às 19h30, para falar sobre sua carreira no humor, livros, quadrinhos e música. Além de ter ficado no ar por 18 anos com o programa na rede Globo, Reinaldo é cartunista, lançou diversos livros, publica cartuns em grandes veículos e participa de uma companhia de jazz. 

No sábado, dia 15, último dia do Festival em Votuporanga, um Sarau Poético reunirá às 17h30 três destacados poetas da atualidade: Alice Ruiz, Micheliny Verunschk e Ricardo Aleixo. Eles interpretarão seus próprios poemas e conversarão com o público sobre a sua arte. Os Saraus dos dias 8 e 15 de agosto serão mediados pelo poeta e crítico literário Heitor Ferraz Mello.

As mesas serão abertas ao público e realizadas em diversos espaços dentro da estrutura montada na Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e a Praça Dr. Fernando Costa. Os visitantes receberão o caderno do FLIV orientando sobre datas, locais e horários de cada atração.

Sobre os escritores

Ana Maria Gonçalves é uma das mais importantes autoras brasileiras, tendo publicado inicialmente o romance intimista “Ao lado e à margem do que sente por mim”, que marca o começo de sua carreira literária. Seu segundo livro foi o extraordinário romance histórico “Um defeito de cor”, vencedor do Prêmio Casa de las Américas.

Paulo Lins é poeta, roteirista e autor do premiado “Cidade de Deus”, que foi levado às telas pelo cineasta Fernando Meirelles. Seu romance mais recente é “Desde que o samba é samba”, no qual ele mergulha nas origens do samba urbano carioca. Lançou também o poema em quadrinhos “Era uma vez eu”.

André Sant’Anna é considerado um dos autores mais talentosos da literatura brasileira atual. Com suas narrativas breves e irônicas, ele desmonta o discurso do bem-estar brasileiro, expondo toda a sua perversão nos livros “O paraíso é bem bacana”, “Sexo e Amizade” e “O Brasil é bom”.

Caco Barcellos, além de ter passado por diversos programas da Rede Globo, atualmente Profissão Repórter, Caco é escritor. Entre suas obras, destaca-se o livro Rota 66. Para escrevê-lo, o jornalista passou oito meses pesquisando, noites sem dormir e foi vítima de inúmeras ameaças por denunciar a truculência da polícia paulistana nas periferias da cidade. Outra obra de destaque de Caco Barcellos foi Abusado, o Dono do Morro Dona Marta, sobre o tráfico existente nos morros do Rio de Janeiro. Escrito em forma de romance, “Abusado” ficou por cerca de um ano nas listas dos mais vendidos no País.

Tico Santa Cruz fundou a banda Detonautas Roque Clube em 1997, da qual é vocalista, e também ficou conhecido por ser um dos poucos artistas a se manifestar sobre temas da política brasileira em postagens nas redes sociais. Além disso, tem três livros publicados, “Pólvora”, “Clube da Insônia” e “Tesão”, todos com uma narrativa intensa. É um artista que não economiza palavras e possui um instinto provocador, sem medo das polêmicas.

Tita Aguiar é formada em Letras, Jornalismo e Estilismo de Moda com várias especializações no exterior pelo F.I.T. (Fashion Intitute of Tecnology) em NovaYork. Sua presença no FLIV tem o apoio do Senac Votuporanga. Consultora de Estilo do Senac São Paulo,  carrega em seu currículo alguns clientes empresariais como Pernambucanas, TV Cultura, Shopping Iguatemi, entre outros. Já comandou programas de TV e tem participações no Mais Você, Jornal Hoje e Hoje em Dia. É colaboradora de diversas revistas e jornais de destaque. Como escritora, assina os livros “Acessórios: por que, quando e como usá-los”, “Personal Stylist – Guia para Consultores de Imagem” e “Moda Artesanal Brasileira na Visão de um Personal Stylist”, todos pela Editora Senac São Paulo.

Reinaldo Figueiredo foi cartunista e um dos editores do Pasquim, fundou o “Planeta diário” e foi um dos criadores do Casseta e Planeta. Hoje, concilia as charges com uma antiga paixão, o jazz. Completando 41 anos de carreira em 2015, é também conhecido como Devagar Franco, Ótima Bernardes ou ainda o Sucker da esquete “Fucker & Sucker”. Como escritor, lançou os livros A Arte de Zoar (Editora Objetiva), Escândalos Ilustrados (Editora Codecri), Apelo à Razão (Núcleo3),  Desenhos de Humor (Desiderata) e Noites de Autógrafos (Desiderata).

Alice Ruiz é poeta, compositora e tradutora; Desde 1969, ela estuda com profundidade o haicai, gênero da poesia japonesa que marca sua trajetória poética. Publicou seu primeiro livro "Navalhanaliga", em 1980, e mais tarde, em parceria com o poeta Paulo Leminski, publicou "Hai Tropikai" em 1985. Em 1989 ganhou o prêmio Jabuti com o livro "Vice Versos" (1988).

Micheliny Verunschk é poeta e romancista. Publicou os livros “Geografia Íntima do Deserto”, “O Observador e o Nada” e “A Cartografia da Noite”. Foi finalista do Prêmio Portugal Telecom 2004 e participou de várias antologias, como “Na Virada do Século – Poesia de Invenção no Brasil”, organizada por Claudio Daniel e Frederico Barbosa. No ano passado, lançou seu primeiro romance “Teresa – vida e morte de uma santa suicida”.

Ricardo Aleixo é um dos mais inventivos poetas brasileiros da atualidade. Ele já lançou seis livros de poesia: “Festim”, “A Roda do Mundo” (em parceria com opoeta Edimilson de Almeida Pereira), “Quem Faz o Quê?”, “Trívio”, “Máquina Zero” e “Modelos Vivos”. Em sua obra, a poesia abraça todos os campos possíveis da expressão, como a sonoridade, a oralidade e a plasticidade da imagem poética.

FLIV 

O Festival Literário de Votuporanga é um evento multicultural que reúne em nove dias diversas atividades ligadas à literatura. O FLIV completa 5 anos em 2015 e, entre seus objetivos, está o de comemorar o aniversário da cidade, 8 de agosto. Em quatro edições, registrou um público de mais de 160 mil pessoas.

As atividades serão desenvolvidas entre 7 e 15 de agosto, das 7h30 às 22 horas, de segunda àsexta; e das 9h às 22h de sábado e domingo numa estrutura de mais de 2 mil m² montada no centro da cidade, integrando a Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e a Praça Dr. Fernando Costa.

São shows, oficinas, mesas de debate, encontro com autores, sessões de contação de histórias, comercialização e distribuição de livros, além de espetáculos de teatro, dança e música. Já passaram pelo FLIV renomados escritores, como Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, Mário Prata, Paulo Lins (Patrono em 2014), entre outros.

Como acontece em todos os anos, um autor é escolhido para ser homenageado durante o festival. Neste ano, o poeta brasileiro Manoel de Barros, morto em 13 de novembro de 2014, será lembrado por suas importantes obras literárias, entre elas muitas voltadas ao público infantil que é o grande foco do FLIV 2015.

A organização é do Instituto Comuna e Prefeitura, com apoio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa), da Abaçai Cultura e Arte - Organização Social de Cultura, Governo do Estado, Deputado Carlão Pignatari e Senac Votuporanga; patrocínio do Supermercado Porecatu e HSA Logística e Transportes por meio do Programa de Ação Cultural –ProAC/ICMS e ainda Banco do Brasil; promoção TV TEM. Mais informações pelo site http://www.flivotuporanga.com.br ou nas redessociais como @flivotuporanga

27/07/15

Rolando Boldrin fará show pelo aniversário de Votuporanga no FLIV 2015

O show do apresentador do programa “Sr.Brasil”, da TV Cultura, foi anunciado pelo prefeito Junior Marão para o dia 8 de agosto

O prefeito Junior Marão anunciou nesta segunda-feira (27/7) o show em comemoração aos 78 anos de Votuporanga. No programa de rádio que grava semanalmente, o prefeito confirmou a presença do diretor e apresentador do programa “Sr. Brasil”, Rolando Boldrin, no dia 8 de agosto, às 20h30, no palco da Concha Acústica “Geraldo Alves Machado”, dentro da programação do Festival Literário de Votuporanga - FLIV 2015.

Além de trazer muitos causos e canções caipiras em seu repertório, Rolando Boldrin, de 78 anos, prestará uma homenagem ao poeta brasileiro, Manoel de Barros, homenageado no FLIV 2015. "O Boldrin é reconhecido por seu trabalho de resgate dos valores brasileiros em suas variadas formas de expressão e tenho certeza de que agradará a todos os públicos. Ele também fará uma homenagem ao poeta Manoel de Barros, patrono do festival", afirma.

A programação de shows terá ainda Demônios da Garoa na abertura do dia 7 de agosto e Zélia Duncan, no encerramento, dia 15 de agosto. Todas as apresentações são gratuitas e realizadas no palco da Concha.

Rolando Boldrin

As brincadeiras de menino, ainda em São Joaquim da Barra, interior de São Paulo, onde Rolandro Boldrin nasceu, já eram com uma viola. Junto com ela o sonho de se apresentar, de cantar, de contar histórias e de viver personagens o acompanhou até 1958, quando, aos 22 anos, consegue seu primeiro trabalho de artista profissional: figurante de teleteatros na TV Tupi.

Desde então o ator Rolando Boldrin não parou mais. Foram centenas de atuações em rádios, teleteatros, novelas, teatros e cinemas. Como ator nunca se separou do seu violão. Compôs músicas, gravou discos, fez shows e participou dos grandes festivais.

Com o ator e cantador veio então o grande sonho, os musicais na televisão, que teve início em 1981, na TV Globo com o Som Brasil (1981-1982-1983). Rolando seguiu com o projeto de divulgar a música genuinamente brasileira para a TV Bandeirantes, com o Empório Brasileiro (1984), para o SBT, com o Empório Brasil (1989), para a CNT, com a Estação Brasil (1997) e atualmente na TV Cultura, com o Sr.Brasil, no ar desde 2005.

A base do programa Sr. Brasil são os ritmos e temas regionais brasileiros. E vale tudo já escrito em prosa, verso e música - e até história a ser contada. O programa é vasto, aberto, receptivo. Ele só não se permite o que não seja genuinamente nacional.

Rolando Boldrin desenvolve um projeto chamado "Vamos tirar o Brasil da Gaveta", que visa resgatar os autênticos valores brasileiros e todas as suas formas de expressão. Sr. Brasil surge como um paralelo deste projeto, já que a cultura do nosso país é o tema dominante. “Não há país no mundo igual ao Brasil. Somos a mistura mais maravilhosa da Terra", diz Boldrin.

Conheça detalhes da carreira do artista em www.rolandoboldrin.com.br

FLIV

O Festival Literário de Votuporanga é um evento multicultural que reúne em nove dias diversas atividades ligadas à literatura. O FLIV completa 5 anos em 2015 e, entre seus objetivos, está o de comemorar o aniversário da cidade, 8 de agosto. Em quatro edições, registrou um público de mais de 160 mil pessoas.

As atividades serão desenvolvidas entre 7 e 15 de agosto, das 7h30 às 22 horas, de segunda à sexta; e das 9h às 22h de sábado e domingo numa estrutura demais de 2 mil m² montada no centro da cidade, integrando a Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e a Praça Dr. Fernando Costa.

São shows, oficinas, mesas de debate, encontro com autores, sessões de contação de histórias, comercialização e distribuição de livros, além de espetáculos de teatro, dança e música. Já passaram pelo FLIV renomados escritores, como Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, Mário Prata, Paulo Lins (Patrono em 2014), entre outros.

Como acontece em todos os anos, um autor é escolhido para ser homenageado durante o festival. Neste ano, o poeta brasileiro Manoel de Barros, morto em 13 de novembro de 2014, será lembrado por suas importantes obras literárias, entre elas muitas voltadas ao público infantil que é o grande foco do FLIV 2015.

A organização é do Instituto Comuna e Prefeitura, com apoio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa), da Abaçai Cultura e Arte - Organização Social de Cultura, Governo do Estado, Deputado Carlão Pignatari e Senac Votuporanga; patrocínio do Supermercado Porecatu e HSA Logística e Transportes por meio do Programa de Ação Cultural –ProAC/ICMS e ainda Banco do Brasil; promoção TV TEM. Mais informações pelo site http://www.flivotuporanga.com.br ou nas redes sociais como @flivotuporanga

22/07/15

Mosaico na Estrada é atração no Festival Literário de Votuporanga

Projeto cultural do Sescoop/SP apresenta pela primeira vez espetáculo de dança contemporânea que conta a infância de Tarsila do Amaral

O Mosaico na Estrada, projeto cultural do Sescoop/SP, apresenta pela primeira vez um espetáculo de dança contemporânea no interior de São Paulo. O “Vila Tarsila”, que conta a infância da pintora modernista Tarsila do Amaral, encenado pela Cia Druw, é uma das atrações do tradicional Festival Literário de Votuporanga (Fliv), que acontece de 7 a 15 de agosto na cidade. A programação do evento será divulgada pela organização na próxima segunda-feira (27/7). Além dos shows já anunciados de Demônios da Garoa (7/8) e Zélia Duncan (15/8), haverá rodas de bate-papo, presença de diversos escritores, espetáculos culturais, musicais e muito mais.

A presença do Mosaico é uma iniciativa do Sescoop/SP com o apoio de três cooperativas – Coacavo (Cooperativa de Agronegócio e Armazenagem de Votuporanga), Sicoob Credlíder (Cooperativa deCrédito) e Coopevo Dinâmica (Cooperativa Regional de Ensino de Votuporanga) e da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. A peça será apresentada no penúltimo dia do evento (14), às 20h30, na Concha Acústica “Geraldo Alves Machado”. O ingresso é um quilo de alimento não perecível, que poderá ser trocado nas próprias cooperativas. As doações serão revertidas em benefício de entidades assistenciais do município.

O Mosaico na Estrada foi criado em 2001 com o objetivo de oferecer atrações culturais de música, cinema, teatro e artes plásticas. A analista de projetos culturais do Sescoop/SP, Silvia Rodrigues Nascimento, explica que, com a dança, o projeto busca atrair um novo público.

“Nosso objetivo é diversificar a programação do Mosaico na Estrada de forma inteligente, unindo linguagens e atraindo os amantes da dança”, diz Silvia Nascimento.

Tarsila do Amaral foi casada com o escritor Oswald de Andrade (1890-1954), que participou ativamente da Semana de Artes Moderna de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo.

Em Vila Tarsila, a coreógrafa Miriam Druwe (fundadora da companhia) e a diretora teatral Cristiane Paoli Quito jogam luzes nas memórias de infância da artista, como a educação francesa e as brincadeiras na fazenda da família em Capivari, no interior paulista.

Os figurinos dos atores e as imagens projetadas no palco de quadros pintados por Tarsila, como Abaporu e Sol Poente, transportam o público para o seu universo artístico.

A Agente de Desenvolvimento Humano da Coacavo e da Sicoob Credlíder, Letícia Madalozo, afirma que a escolha da peça está de acordo com a proposta Mosaico na Estrada: oferecer cultura de qualidade nas cidades onde as cooperativas estão inseridas. “Vamos participar da Fliv oferecendo à população com um espetáculo inovador e moderno”, reforça Letícia Madalozo.

Sobre o Mosaico na Estrada

O Mosaico na Estrada conta atualmente com a parceria de cerca de 140 cooperativas. Seu planejamento e execução envolvem as cooperativas em ações sociais, levando cultura de qualidade às populações de diversas regiões do Estado. 

Essas ações são revertidas em atos solidários, pois os ingressos são trocados por itens de alimentação ou higiene pessoal doados para as instituições das cidades que sediam os eventos.

O projeto registrou até o ano passado 505 ações em diversas linguagens artísticas - teatro, música, cinema e artes plásticas – em 101 cidades, com um público de 400 mil pessoas.

A programação de espetáculos e oficinas criativas é realizada em diversos locais: cooperativas, escolas, paróquias, teatros, estacionamentos, parques e praças.


Serviço

Vila Tarsila

Cia Druw

Recomendação: Livre

Local: Concha Acústica Geraldo Alves Machado 

Endereço: Rua São Paulo, s/nº - Centro

Data: 14 de agosto

Horário: 20h30

Ingresso: 1 kg de alimento nãoperecível

 

Postos de troca:

Coacavo e Sicoob Credlíder -

Rua São Paulo, 3069 - Centro

Telefone: (17) 3405-9455

Coopevo Dinâmica

Rua Denizart Vidigal, 3620 – Chácara daAviação

Telefone (17) 3421-8646

Iniciativa: Sescoop/SP

Apoio: Coacavo, Sicoob Credlíder, Coopevo Dinâmica e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

21/07/15

Escritores podem enviar textos para caderno do FLIV

Escritores de Votuporanga e região poderão ter textos publicados no caderno de programação do Festival; prazo para enviar material vai de 22 a 26 de julho

A quinta edição do Festival Literário de Votuporanga - FLIV 2015 está com inscrições abertas para escritores que queiram ter seus textos publicados no caderno de programação do evento. Interessados podem enviar seus materiais de 22 a 26 de julho para o e-mail fliv@flivotuporanga.com.br

É preciso enviar um texto (na íntegra ou trecho) nos gêneros conto e crônica (com até 2.300 caracteres com espaços) ou poema (em até 46 versos), com nome completo e telefone para contato. O escritor deve ser de Votuporanga ou das cidades vizinhas. A organização analisará e selecionará os textos mais representativos para integrar os milhares de cadernos de programação que serão distribuídos no festival.

“Além de incentivar o hábito da leitura, o objetivo do FLIV também é divulgar os escritores e artistas do município e da região”, destaca Cibeli Moretti, coordenadora do evento.

 FLIV

O Festival Literário de Votuporanga completa 5 anos em 2015. Em quatro edições, mais de 160 pessoas passaram pela feira que conta com shows, oficinas, mesas de debate, capacitações para professores, encontro com autores, sessões de contação de histórias, comercialização e distribuição de livros para as crianças, além de espetáculos de teatro, dança e música.

Com entrada gratuita, a Feira terá uma estrutura de mais de 2 mil m² montada no centro da cidade, integrando a Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e a Praça Dr. Fernando Costa. As atividades serão desenvolvidas entre 7 e 15 de agosto, das 7h30 às 22 horas, de segunda à sexta; e das 9h às 22h de sábado e domingo.

A organização é da Prefeitura e Instituto Comuna, com apoio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa),da Organização Social de Cultura Abaçai e do Governo do Estado, por meio do Programa de Ação Cultural – ProAC. Mais informações pelo site http://www.flivotuporanga.com.br ou nas redes sociais como @flivotuporanga


21/07/15

Poeta Manoel de Barros será homenageado na edição 2015

A 5ª edição do Festival Literário de Votuporanga – Fliv, que será realizada entre 7 e 15 de agosto na cidade do interior paulista, terá como homenageado o poeta brasileiro Manoel de Barros. Durante os nove dias do evento com entrada gratuita, a organização espera receber mais de 60 mil pessoas, público registrado no último ano. A programação de palestras e atividades está sendo concluída, mas já foram anunciados os shows de Demônios da Garoa, dia 7, e de Zélia Duncan, dia 15.
 
O escritor Manoel de Barros será lembrado nove meses após sua morte, que se deu em 13 de novembro de 2014, aos 97 anos. Do legado de 18 livros de poesia e relatos autobiográficos, estiveram ainda cinco livros infantis. “As crianças são o foco do Fliv. Queremos incentivar leitores desde seus primeiros anos de idade”, explica a coordenadora Cibeli Moretti.
 
Ao longo de seus 70 anos de poesia, Manoel de Barros foi agraciado com o Prêmio Jabuti duas vezes, em 1990 e 2002, com as obras “O guardador de águas” (1989) e “O fazedor de amanhecer” (2001). Em 2000, foi premiado pela Academia Brasileira de Letras. Teve sua obra traduzida em Portugal, Espanha, França e Estados Unidos. Em 2008, foi tema do documentário “Só dez por cento é mentira”, de Pedro Cezar. Em 1986, Carlos Drummond de Andrade disse que Manoel de Barros era o maior poeta brasileiro vivo. Antonio Houaiss, um dos mais importantes filólogos e críticos brasileiros escreveu: “Tenho por sua obra a mais alta admiração e muito amor”.
 
A coordenadora do Fliv, Cibeli Moretti, explica que a programação contará com diversas atividades lembrando do legado de Manoel de Barros, “mas o Fliv é um grande painel para divulgarmos também novos autores e enriquecer nossa cultura”.
 
O FLIV
O Festival Literário de Votuporanga completa 5 anos em 2015. Em quatro edições, mais de 160 pessoas passaram pela feira que conta com shows, oficinas, mesas de debate, capacitações para professores, encontro com autores, sessões de contação de histórias, comercialização e distribuição de livros para as crianças, além de espetáculos de teatro, dança e música.

Com entrada gratuita, a Feira terá uma estrutura de mais de 2 mil m² montada no centro da cidade, integrando a Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e a Praça Dr. Fernando Costa. As atividades serão desenvolvidas entre 7 e 15 de agosto, das 7h30 às 22 horas, de segunda à sexta; e das 9h às 22h de sábado e domingo.
 
Já passaram pelo Fliv renomados escritores, como Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, Mário Prata, Paulo Lins (Patrono em 2014), entre outros.

A organização é da Prefeitura e Instituto Comuna, com apoio da Associação Paulista dos Amigos da Arte (Apaa), da Organização Social de Cultura Abaçai e do Governo do Estado, por meio do Programa de Ação Cultural – ProAC. Mais informações pelo site http://www.flivotuporanga.com.br ou nas redes sociais como @flivotuporanga

26/06/15

FLIV 2015: confirmada para agosto a quinta edição do festival literário

As primeiras informações sobre o Festival Literário de Votuporanga – Fliv 2015 foram apresentadas na tarde desta sexta-feira (26/6) pelo prefeito Junior Marão, aSecretária Municipal da Cultura e Turismo, Silvia Stipp e a coordenadora, Cibeli Moretti. O evento será realizado de 7 a 15 de agosto, das 7h30 às 22 horas, de segunda à sexta; e das 9h às 22h de sábado e domingo, numa grande estrutura montada na Concha Acústica “Geraldo Alves Machado” e Praça Dr. Fernando Costa, centro da cidade. A organização é da Prefeitura e Instituto Comuna.

Como acontece em todos os anos, um autor é escolhido para ser homenageado durante o festival. Neste ano, o poeta brasileiro Manoel de Barros, morto em 13 de novembro de 2014, será lembrado por suas importantes obras literárias, entre elas muitas voltadas ao público infantil que é o grande foco do FLIV 2015. “As atividades têm como principal foco as crianças. Acreditamos que, para ter bons leitores, precisamos incentivar o hábito da leitura desde a infância com iniciativas que democratizem o acesso aos livros e à cultura”, destaca a coordenadora do evento, Cibeli Moretti.

 O Fliv atrai visitantes de várias partes do Estado que vêm conferir nove dias de uma intensa programação, como shows, oficinas, mesas de debate, capacitação para professores, encontro com autores, sessões de contação de histórias, comercialização e distribuição de livros para as crianças, além de espetáculos de teatro, dança e música.

Para 2015, foram anunciados dois shows para o palco da Concha Acústica. Demônios da Garoa irão abrir o evento no dia 7 de agosto. No sábado, dia 15 de agosto, o show da cantora Zélia Duncan encerra o festival.

 O acesso às atividades é gratuito. Em quatro edições, o Fliv registrou um público de mais de 160 mil pessoas, atingindo aproximadamente 40 municípios próximos a Votuporanga.

 Nas quatro edições já passaram pelo Fliv renomados escritores, como Ignácio de Loyola Brandão (Patrono em 2012), Maurício Kubrusly, Marcia Tiburi, Ferréz, João Paulo Cuenca, Mário Prata, Lourenço Mutarelli, Marcelino Freire, Sergio Vaz, Humberto Wernek, Braulio Tavares, Francisco Bosco, Antônio Cícero, Andre Dahmer, Alexandra Moraes, Frederico Barbosa (Patrono em 2013), Paulo Lins (Patrono em 2014), Ronaldo Correia de Britto, Antônio Geraldo, Heitor Ferraz Mello (curador em 2014), Cristóvão Tezza, Alice Sant’Anna, Chacal, além de shows com Almir Sater, Fernanda Porto, Jair Rodrigues e Luciana Mello, Ed Motta, Toquinho e Tiê, Sergio Reis e Renato Teixeira, com o espetáculo Amizade Sincera; Biquini Cavadão, Chico Cesar, Orquestra Paulistana de Viola Caipira, Jorge Aragão e o grupo musical infantil Gangorra; entre outros.

14/05/15

Em 12 dias, Fliv atraiu cerca de 60 mil pessoas

Festival chega ao fim com aumento de público de 35% em relação à edição passada

 

Os números desta edição do FLIV - Festival Literário de Votuporanga comprovam que o evento já é uma realidade no calendáriocultural do estado. Cerca de 60 mil pessoas desfrutaram, ao longo de 12 dias,de uma programação plural, que reuniu encontros com importantes nomes daliteratura nacional, shows, apresentações de teatro e contações de histórias.

 

A quarta edição do Fliv, quechega ao fim neste dia 10 de agosto, teve um expressivo crescimento de público35% em relação ao ano passado, com visitantes de mais de 30 cidades. Outro dadoimportante foi o de atendimento às escolas. Em média, 15 instituições de ensinode Votuporanga e região visitaram o festival diariamente.

 

Ainda em relação à atenção com aformação leitores – um dos principais objetivos do Fliv – vale destacar adoação de cerca de 104 mil livros para crianças de escolas da rede pública deVotuporanga.

 

Segundo a secretária municipal deEducação, Cultura e Turismo, Silvia Stipp, o Fliv vem superando as expectativasa cada ano. Ela credita esses resultados à pluralidade da programação, comatrações literárias e musicais, atraindo várias gerações de visitantes. Elareforça ainda que “o sucesso foi muito grande por conta da interação entre aliteratura e outras manifestações artísticas, como apresentações de teatro econtação de histórias. Ou seja, a criança acaba vivenciando a literatura pormeio de outras formas de fazer arte”, comenta.

 

Para a próxima edição, asecretária de cultura adianta que o desafio é continuar investindo numaprogramação de qualidade e no nível de profissionalismo de todas as equipesenvolvidas na realização do evento. Silvia Stipp ressalta que o planejamentopara o Fliv 2015 terá especial atenção na programação de autores infantis.“Queremos, desta maneira, chamar cada vez mais a atenção deste público, paraque ele se sinta parte integrante e principal deste evento”, finaliza.

 

A quarta edição do Fliv tem opatrocínio da Usina Colombo e Açúcar Caravelas por meio do Programa de AçãoCultural – Proac/ICMS, Governo do Estado de São Paulo e Secretaria de Estado daCultura; Senac Votuporanga e TV TEM (afiliada Rede Globo).


10/08/14

Poesias ao pé do ouvido no Fliv

“Poemas Sussurrados” ocorreu no calçadão da Concha Acústica e na Praça da Matriz, no feriado municipal de aniversário da cidade

De maneira intimista, a artista Renata Roman sussurra, ao som de sua caixinha de música, uma poesia aos ouvidos atentos de uma criança, como se contasse um segredo. De olhos fechados, a expressão da criança se transforma à medida que o poema é recitado. Ao término, vem o sorriso de satisfação.
Esta cena se repetiu inúmeras vezes na intervenção poética itinerante “Poemas Sussurrados”, que ocorreu no calçadão da Concha Acústica e na Praça da Matriz, dia 8 de agosto, feriado municipal de aniversário da cidade, como parte a programação do Fliv – Festival Literário de Votuporanga.
Segundo a artista, a atividade proporciona o contato direto com a poesia de maneira diferenciada, por meio da experiência sensorial que a escuta proporciona. “Meu objetivo é que as pessoas possam se interessar pela poesia. Quando eu sussurro um poema, a pessoa o percebe de um modo diferente”, contou Renata.
No sábado, dia 9 de agosto, Renata Roman estará de volta ao centro de Votuporanga, a partir das 14h, para mais um “Poemas Sussurrados”.

4º FESTIVAL LITERÁRIO DE VOTUPORANGA
De 1º a 10 de agosto 

08/08/14

Experiências da ditadura militar nortearam o bate-papo de Ignácio de Loyola Brandão

O público lotou os mais de 300 lugares do “Espaço Cine Fliv” parou para ouvir o autor falar sobre “A palavra cidadã”

Há exatamente 50 anos, a ditadura militar estourava no Brasil, fazendo com que jornais, revistas, escritores, pensadores e parte da classe artística fossem alvo de censura e perseguição. Foi com essa lembrança que o escritor e jornalista Ignácio de Loyola Brandão começou o “Bate-Papo com Escritores” da quarta edição do Fliv – Festival Literário de Votuporanga, no dia 07 de agosto.
O público, que lotou os mais de 300 lugares do “Espaço Cine Fliv”, parou para ouvir o autor falar sobre o tema proposto para a noite, “A palavra cidadã”. O curador literário do Fliv 2014, o poeta e jornalista Heitor Ferraz Mello, abriu a mesa comentado sobre as várias obras de Loyola, entre elas, “Zero”, uma das mais notórias e marcantes para o escritor.

Mello ainda apresentou os livros “Não verás país nenhum”, “O verde violentou o muro” e o mais recente lançamento de Loyola, “Solidão no fundo da agulha”, reunião de crônicas com atmosfera musical, ilustrado com fotos de Paulo Melo Jr., acompanhando por um CD com músicas interpretadas por sua filha, Rita Gullo.

Censura - Com uma trajetória de quase 50 anos atuando como jornalista e escritor, Loyola recordou o começo de sua carreira como jornalista no extinto “Última Hora”, no final da década de 60, coincidindo com os anos difíceis da repressão militar. “Naquela época a redação tinha um membro incomum, o ‘censor’, que era a pessoa encarregada de revisar todo o material e garantir que não houvesse nenhum conteúdo inadequado”, comentou o escritor.

A partir disso, ele começou a guardar em uma gaveta da redação todos os conteúdos que eram vetados, surgindo assim, muitos recortes de notícias e histórias que, de certa forma, chamavam sua atenção. Mais tarde, esses recortes ganharam vida nas páginas de seu romance “Zero”, retratando a situação vivida no Brasil naquela época. “O livro foi recusado em diversas editoras que não queriam publicar algo com um conteúdo tão pesado para aqueles 25 anos tenebrosos”, contou Loyola.

Por essa razão, seu livro foi publicado primeiro na Itália há exatos 40 anos e traduzido por seu amigo e romancista italiano, Antonio Tabucchi. “Zero” só ganhou exemplares no Brasil anos depois. Loyola lembrou ainda um fato curioso sobre a obra: “quando ‘Zero’ foi publicado no Brasil e depois censurado, ele se tornou uma raridade. Havia versões xerocadas e datilografadas”.

E depois de quase duas horas de bate-papo, o mediador do encontro Heitor Ferraz Mello convidou o público a se dirigir ao “Espaço das Livrarias”, na Praça da Matriz, onde Brandão estaria à disposição para autografar seus livros.


4º FESTIVAL LITERÁRIO DE VOTUPORANGA
De 1º a 10 de agosto 


www.flivotuporanga.com.br

07/08/14

Cancelado “bate-papo” com o músico Marcelo Yuka no Fliv

Atividade será substituída por encontro com Paulo Lins, sobre construção de roteiros

O bate-papo marcado para acontecer amanhã, 08 de agosto, no “Espaço Cine Fliv” às 17h com o músico, poeta, ativista social e pensador brasileiro Marcelo Yuka foi cancelado. O convidado teve problemas de saúde e seu médico apresentou laudo que o impediu de viajar e participar da quarta edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga.

Em substituição, uma nova mesa será formada para a série “Bate-Papo com Escritores”. Paulo Lins, escritor, roteirista e patrono do Fliv 2014, falará sobre a “Construção do roteiro: Cinema e televisão”.

Com mediação do escritor, poeta, jornalista e curador literário do Fliv 2014, Heitor Ferraz Mello, o escritor carioca explicará como viu sua obra mais notória, “Cidade de Deus”, ser contada em película, no longa dirigido por Fernando Meireles. Além disso, Lins contará detalhes de seu trabalho como roteirista nas minisséries “Suburbia” e “Cidade dos homens” (Rede Globo) e nos filmes “Quase dois irmãos”, de Lúcia Murat e, mais recentemente, no longa “Faroeste Caboclo”.

 

FLIV– “Bate-Papo com Escritores”

Dia 08 de agosto, sexta-feira

Horário:17 horas

Construção do roteiro: Cinema e televisão - com Paulo Lins

Mediação:Heitor Ferraz Mello

Local:Espaço Cine FLIV

 


Guia

  • Agência Bancária
  • Farmácia/Drogaria
  • Hotéis
  • Imobiliárias
  • Lanchonete
  • Pizzaria
  • Ponto de Táxi
  • Restaurante
  • Serviço Médico
  • Postos de Combustível
  • Transporte
  • Emergência